segunda-feira, 23 de setembro de 2013

O caminho



Não acredito no destino. O destino de cada um não está traçado nas estrelas nem muito menos nas mãos das Moiras. Vejo o destino como um caminho. No percorrer deste caminho às vezes cruzamos como caminho de outros, andamos assim acompanhados por algum tempo, outras vezes fazemos escolhas que nos levam a caminhar sozinhos.


O caminho de cada um é feito de escolhas, e somos individualmente responsáveis pelas escolhas que fazemos. Ninguém tem o poder de escolher por outro, cada um escolhe aquilo que deseja ou que acha mais fácil ou mais conveniente naquele momento. Uma mãe não tem o poder de escolher pelo filho (a minha mãe que o diga!), assim como um parceiro não tem tampouco o poder de escolher pelo amado. Quem pensa que tem esse poder ou que alguém tem esse poder sobre ele, vive de uma ilusão.


Se as nossas escolhas nos levam ao sucesso, esse sucesso é nosso e apenas nosso, não deve se atribuir a ninguém o crédito por ele. Se, por outro lado, as nossas escolhas nos levam ao fracasso, esse fracasso também é apenas nosso, ninguém tem nada a ver com isso além de nós mesmos.


As escolhas são feitas com a mente, não existem escolhas feitas com o coração, o coração é apenas um músculo que bombeia sangue ao nosso organismo, não é com ele que escolhemos... esteja sempre ciente de que você escolheu com a sua mente, utilize o melhor do seu intelecto para facilitar a melhor escolha. Aceite as escolhas que fez com toda a sua alma, abrace-as, aceite-as e assuma-as com dignidade!


Seja quais forem as suas escolhas: seja feliz! Pare de se preocupar com o que os outros vão pensar, com o que qualquer um vai pensar! A vida é curta demais pra você perder seu tempo se preocupando com isso. Com o que eu vou pensar, se preocupe menos ainda... Eu certamente não me preocupo com o que você vai pensar antes de fazer as minhas escolhas!

domingo, 18 de agosto de 2013

Pensando em Zumbis

Pensar é uma arte, infelizmente há poucos artistas hoje em dia. Adoro pensar. O pensamento eleva o espírito, a reflexão aperfeiçoa. Pensar é a maior dádiva que recebemos, é o que nos faz humanos.
Acordei pensando. Pensando no quanto o ser humano está diferente nos dias de hoje, em como a vida corrida, rápida, descartável que vivemos vem afetando a percepção que o homem tem de tudo ao seu redor.
Vivemos numa época em que tudo é descartável, inclusive as pessoas, os sentimentos, os relacionamentos... Troca-se de parceiro como se troca de carro, troca-se de amigos como se troca de roupa, mudam os sentimentos e emoções num piscar de olhos.
Nada é permanente.
Zumbis. Os seres humanos se tornaram o pesadelo tecnológico que previam em filmes como Metropolis. Não é que os robôs não vieram, eles estão aqui, por toda parte, basta olhar no espelho para vê-los andando, trabalhando, fazendo o que foram programados para fazer, fingindo que sentem, que choram, que amam... Mortos-vivos circulando pelo mundo acreditando que vivem.
Nada é permanente.
E os poucos humanos que sobramos no mundo olhamos em desespero e nos perguntamos: será que um dia vamos nos transformar nisso também? Será que um dia eu também vou esquecer que a vida é eterna? Que nada é passageiro, que a vida e as pessoas descartáveis são uma ilusão? Será que um dia eu também vou esquecer que somos todos um e como um continuaremos vivendo até o fim dos tempos?
Nada é passageiro, tudo é permanente, o passageiro é uma ilusão mórbida que nos faz acreditar que podemos descartar coisas e pessoas ao nosso bel-prazer. Uma ilusão que nos faz esquecer que a vida é um círculo, que o fim é o começo, que o que hoje é descartado amanhã estará ai novamente. Somos todos um e as consequências do que fazemos hoje virão sempre, pode não ser amanhã, pode não ser depois de amanhã, mas virão. A vida é um círculo... Será que um dia eu também vou esquecer disso?

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Comunicado aos meus amigos

Já começo dizendo que esta mensagem não vai para ninguém em especial, mas para todas as pessoas que fazem parte da minha vida “online”.  Decidi escrever aqui uma mensagem para todos ao mesmo tempo, pois ultimamente tenho recebido mensagens no facebook, celular e e-mails com conteúdos do tipo “vc sumiu, aparece. Bjs. Saudades”.

Eu gostaria de comentar aqui para todo mundo ler que eu jamais me afasto dos meus amigos. Quem me conhece sabe que posso ser a amiga mais fiel e dedicada do mundo se a recíproca for verdadeira. Agora, se eu não me esforço para falar com você, desculpa, mas é porque você não se esforça para falar comigo.

Há pessoas que eu não vejo há mais de um ano e que se sentem no direito de me fazer cobranças, para essas pessoas eu só tenho uma coisa a dizer: se você fosse meu amigo, não estariamos a um ano sem nos falar morando no país, se não nos falamos há mais de um ano, desculpa, mas você não é meu amigo, somos apenas conhecidos.

Dos meus amigos eu cuido, eu vou atrás. Eu ligo, insisto e persisto, forço a barra mesmo, grudo e não largo. Quem é ou alguma vez já foi meu amigo sabe disso. Por meus amigos eu pego o carro no dia e horário que for, atravesso o DF inteiro só para passar meia hora tomando um café e jogando conversa fora. Por um amigo eu atravesso três estados apenas para passar um final de semana juntos. E sabe por que eu faço tudo isso? Faço porque meus amigos fazem a mesma coisa por mim.

Se eu não faço nada disso por você é porque você não faz nada disso por mim. Não me cobre presença na sua casa se você não é figura presente na minha. Não me convide para lugares onde têm gentinha que você sabe que eu não tolero, se você fosse meu amigo se preocuparia em me fazer sentir confortável e me deixar feliz (do mesmo jeito que eu faço com todo mundo que vem até a minha casa ou que sai comigo para qualquer lugar). Não utilize como desculpas para não manter contato comigo o seu trabalho, os estudos, a família, o dia-a-dia corrido... Se tudo isso é mais importante para você do que eu, o trabalho, família e a correria diária também serão mais importantes para mim do que você.

Eu não sumi, eu não sumo de ninguém. Continuo morando no mesmo lugar desde que voltei da Europa. Meus telefones continuam os mesmos. Continuo trabalhando nos mesmos lugares. Quem realmente estiver com saudades sabe muito bem onde me encontrar. Eu não me escondo, não fujo de ninguém. A minha porta está sempre aberta para um amigo. Os meus ouvidos sempre estarão prontos para atender o telefonema de um amigo. Os verdadeiros amigos são a minha vida, quem for meu amigo sabe disso. Amigo para mim é mais do que família, é a família que eu escolhi para mim.

Sou do tipo de pessoa que considera um relacionamento de amizade mais forte e mais profundo até que um relacionamento amoroso. A traição amorosa eu posso até perdoar, mas a traição da minha amizade eu não desculpo, não perdôo e não esqueço. Quem teve a minha confiança e a minha amizade e a perdeu, pode até achar algum dia um amigo melhor do que eu, mas igual a mim, não vai achar nunca. A dedicação cega, o carinho infinito, o cuidado, os ouvidos sempre prontos para ouvir, a palavra justa no momento em que é precisa e inúmeras outras coisas que eu sempre ofereci aos meus amigos são exclussividade que reservo apenas para aqueles que valem a pena.

Não vou atrás de quem não vem atrás de mim, não faço esforço para ver quem não faz esforço para me ver. Se eu não te ligo é porque você não me liga. Se eu não te visito é porque você não me visita. Se você não me vê há muito tempo é porque você não fez questão de me ver. Eu não precisaria estar falando nada disso, pois quem é meu amigo sabe muito bem como eu penso. Mas às vezes é preciso deixar algumas coisas claras, porque nem todo mundo é “bom entendedor”, algumas pessoas precisam de muitas palavras.

Quem realmente for meu amigo sabe que sou seletiva, que escolho os amigos a dedo, que não me misturo com qualquer um, que sou preconceituosa com pessoas falsas, mentirosas, hipócritas, fofoqueiras e que traem outros amigos ou o próprio parceiro. Quem for meu amigo sabe que eu sempre tenho uma opinião sobre tudo e que não fico calada quando vejo algo com o que não concordo. Quem for realmente meu amigo não vai se espantar com esta mensagem nem achar que estou “apelando”, porque quem realmente me conhece sabe que sou uma capricorniana esquentada sem papas na língua, mas que sou sempre sincera.

Para todos os outros, eu peço desculpas se sentiram ofendidos, não era essa a intenção, a intenção era únicamente pedir para não me mandarem mais mensagens de “estou com saudades de você” ou “faz tanto tempo que a gente não se vê, vamos combinar alguma coisa” se você não tiver realmente a intenção de fazer isso. E se você tem a intenção de combinar alguma coisa comigo, não fale que está com saudade e deixe por isso mesmo, faz assim: pega o telefone, me liga e marca alguma coisa, aproveita que estou de férias.

terça-feira, 1 de março de 2011

Resposta atrasada

Um moço desconhecido me pediu conselho num fórum do qual faço parte, eu, 2 meses depois, respondo a mensagem do rapaz. O problema dele é que está apaixonado por uma garotinha que já teve experiências lésbicas e com quem ele tem uma amizade. Ela não sabe dos sentimentos dele e ele não tem certeza do que deveria fazer.

Querido J.,

Há uns 2 meses você me enviou uma mensagem particular a um fórum do qual faço parte. Só li essa mensagem hoje, pois fazia muitos meses que não entrava ao fórum. Espero que a minha resposta à sua mensagem ainda seja válida.

Querido, a verdade é que não entendo muito bem por que você escolheu escrever para mim e contar esse desabafo sobre a sua vida, agradeço que o tenha feito, imagino que se sentia muito angustiado para chegar ao ponto de escrever para uma completa desconhecida e contar uma partezinha tão íntima dos seus pensamentos/sentimentos. Porém devo reconhecer que não posso ajudar muito, por não conhecer a menina pela qual você está apaixonado.

Acredito que vocês dois são muito jovens, na idade dela é completamente normal (especialmente para as meninas) experimentar relacionamentos de "amizade colorida" com pessoas do mesmo sexo, é uma fase na qual as coisas ainda não estão claras na cabeça da maioria das pessoas. Por outro lado havemos algumas pessoas que descobrimos muito cedo o que queremos da vida e o que não queremos também. Eu mesma sempre soube que queria uma mulher do meu lado e que um homem jamais poderia me dar aquilo que eu preciso. No caso específico da menina pela qual você está apaixonado eu não posso dizer muito, não a conheço, não sei se ela apenas passou por uma fase da vida na qual sentiu vontade de experimentar com a sua sexualidade ou se realmente ela é lésbica e não há chance dela se interessar por um homem. O que sim posso te dizer é que a vida me ensinou que a melhor estratégia é sempre a honestidade. A sinceridade deve ser a base para qualquer tipo de relacionamento humano, seja ele de amizade, fraternal ou amoroso. Acredito que você conversar com ela honestamente sobre os seus sentimentos é, sem dúvida, a melhor forma de resolver o seu problema.

Você deve ter sempre em mente que não pode obrigar alguém a sentir o mesmo que você sente, o amor só existe se ele for cultivado de livre vontade por ambas partes, se não for assim, não é amor, é apenas atração, paixão, obsessão. Quando você ama alguém, você realmente quer que essa pessoa seja feliz, e ninguém pode ser feliz quando é pressionado a fazer algo que vai contra os seus reais sentimentos. Por isso é importante que você não tente impor os seus sentimentos à menina, não a deixe contra a espada ou a parede, não lhe faça cobranças nem chantagens, apenas abra os seus sentimentos a ela e deixe ela decidir se quer ou não tentar cultivar esses sentimentos nela também. Deixe sempre claro que ela pode dizer "não", que não há nada errado se ela não quiser tentar construir algo com você.

Vou dizer também algo que você não vai gostar: O "amor da vida", a "tampa da panela", a "metade da laranja" (e todas as outras metáforas em que você consiga pensar) NÃO EXISTE. Existem no mundo inúmeras pessoas compatíveis com a gente em diferentes graus, algumas mais, outras menos, porém, querendo, podemos construir um relacionamento maravilhoso com qualquer uma delas. Você pode achar hoje que alguém é "o amor da sua vida", porém um dia você vai se lembrar do passado e perceber que essa pessoa não significa absolutamente nada para você, que foi apenas alguém que passou pela sua vida.

O amor não é um sentimento unilateral, o amor não é apenas um sentimento... Amar implica se esforçar a cada dia por superar inúmeras dificuldades, ambas partes precisam se esforçar MUITO para realmente cultivar uma relação de amor. Você vai ouvir falar muitas vezes frases como "no coração não se manda" ou "o amor não se pensa, se sente e nada mais", não acredite nelas, no coração se manda sim, o ser humano é dotado de um cérebro sem igual no reino animal, o nosso cérebro serve exatamente para isso, para governar o nosso corpo e nossa mente. Podemos mandar em qualquer coisa relacionada ao nosso corpo e nossa mente sempre que desejemos realmente fazê-lo.

Peço infinitas desculpas desde já por falar isto para você, mas a verdade é que não existe amor de um lado só, o que você sente não é amor, é atração, provavelmente misturada com carinho, desejo, admiração, encantamento... em fim, tudo aquilo que forma a paixão. A paixão é um estado químico do nosso organismo, você pode não acreditar, mas não é nem o coração, nem o destino que nos faz sentir paixão, são apenas nossos hormônios e outras substâncias químicas liberadas pelo cérebro. O estado de paixão (o "estar apaixonado") pode durar desde algumas semanas até 2 anos e meio, mas sempre (leia bem) SEMPRE acaba.

Se durante este estado de paixão você conseguir construir um relacionamento de amor com a pessoa, ótimo, pode se dizer realmente que vocês se AMAM e que o relacionamento de vocês vai ultrapassar este periodo de paixão inicial e durar por muito mais tempo. Se por outro lado vocês não construírem essa relação de amor, a paixão vai desaparecer e você vai perceber depois de um tempo que já não sente mais aquilo que você sentia pela pessoa. Agora, há um terceiro caso, há o caso em que não se cria esta relação de amor, porém a pessoa apaixonada cria uma relação fictícia na sua própria mente (foi o meu caso durante muitos anos) na qual basicamente estabelece uma relação com uma "imagem idealizada" da pessoa por quem se está apaixonado: é o famoso "amor platônico", e este relacionamento virtual/mental é tão satisfatório que a pessoa estabelece um relacionamento afetivo amoroso mesmo, com uma imagem que está na sua própria mente. Este último caso é o perigoso, é deste que devemos nos cuidar pois a mente humana é extremamente traiçoeira e nem sempre o que parece real é real, ela é também frágil demais e podemos facilmente passar de uma simples admiração e atração a uma doença mental, uma obsessão fora de controle.

Provavelmente vai pensar "essa mulher não me conhece, não sabe do que está falando, ela não entende os meus sentimentos". Eu pensei a mesma coisa quando alguém me falou algo similar quando eu tinha a sua idade. Aprendi do jeito mais difícil que isto é a mais pura verdade e que conhecer a si mesmo (fisiologicamente também, não apenas psicologicamente) evita muitos sofrimentos e desgastes desnecessários.

Em fim, não posso te ajudar muito, basicamente o resumo desta mensagem é:  Seja sincero, fale a ela sobre os seus sentimentos. Se ela topar ter algo com você: ótimo, tentem, nada nunca se perde com tentar. Se ela não topar, apenas se lembre: tudo na vida passa, paixão não é exceção a essa regra.

Abraços e a melhor das sortes em tudo.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Projeto mamis 2012

Pois é, o blog está meio abandonado. Devo confessar que desde que voltei de Portugal há 7 meses não tenho tido muito tempo de me dedicar ao blog, a vida de casada e de dona de casa ocupa muito o meu tempo, mas vou tentar pôr as cartas em dia.
Hoje publico um e-mail que mandei como resposta a uma amiga. Esta minha amiga iniciou uma "campanha" para que eu, outra amiga nossa e ela mesma sejamos mães no ano que vem, a campanha é o "Projeto Mamis 2012" que consiste basicamente em me convencer e convencer a nossa amiga L. a engravidarmos e sermos todas mães no ano de 2012. A minha resposta ao e-mail dela reflete bastante o momento da vida pelo que estou passando agora:

Oi C. e L.!

Hehehe Eu não preciso de convencimento, estou com a ideia fixa de ter um bebê também. Aliás, eu estou mais do que pronta... Vibrei demais ao saber, alguns dias atrás, que as leis no Brasil mudaram e que agora casais homossexuais podemos fazer uso das tecnologias disponíveis para conceber um filho.

O meu único problema no momento é a falta de dinheiro para fazer do jeito que é melhor para a nossa família. Para nós, o melhor seria eu engravidar utilizando fertilização in vitro com um óvulo da minha mulher. Dessa forma a nossa futura filha (ou filho) seria realmente irmã(o) dos meninos dela, isso evitaria problemas com a família, ex-marido e com os próprios meninos.

O meu amor e eu queremos muito ter um bebê, fico feliz em saber que vocês também querem ter um, quem sabe no próximo ano não teremos 3 chás de bebê, né? Aliás, 4... pois temos outro casal de amigas  que também querem muito ter um filho e já estão começando o tratamento para isso :-)

Boa sorte para vocês, obrigada pelos links e me mantenham informada dos avanços em convencer a L.!!!

Beijão,
Angel.

sábado, 4 de setembro de 2010

Ocupada demais sendo feliz...

Pois é... aqui estou,  de volta à terra querida, aos braços da mulher amada e ao colo acolhedor e sempre bem disposto das amigas. Sumi, não nego. Estes dois anos na Europa foram longos, intensos, representaram um grande desafio e me deixaram muito pouco tempo para a internet e para escrever. Mas foram também proveitosos, educativos e cheios de realizações. Não reclamo. Sou uma privilegiada, ser paga para estudar e pesquisar não é para qualquer um.
Esta semana completei dois meses de volta no Brasil. Dois meses de ajustes, de festa, de overdose do amor dos amigos, de confrontos, de  conquistas e re-conquistas, dos mimos e carinhos do meu amor, mas acima de tudo, dois meses de muita felicidade.
Não digo que tenha sido fácil, não foi nem é ainda, mas quem disse que a vida tem que ser fácil? A beleza da vida está exatamente nessa incesante mistura de acontecimentos e na imprevisibilidade do caminho que temos à frente.
Agradeço cada dia, cada manhã destes dois meses, pois sem importar o que tenha acontecido durante o dia e a noite anteriores, posso simplesmente abrir os olhos, olhar para a minha direita na cama e ver um rosto que me dá a certeza de que tudo nesta vida vale a pena.
Esta postagem é curta e simples, principalmente considerando o tempo que fiquei sem escrever nada por aqui, mas quem alguma vez sentiu o gostinho doce da felicidade na garganta vai entender perfeitamente que quando se está ocupado demais sendo feliz, 1584 horas se passam em um abrir e fechar de olhos.

sábado, 6 de março de 2010

Poema para o meu amor

Já és minha. Repousa com teu sonho em meu sonho.
Amor, dor, trabalho, devem dormir agora.
Gira a noite sobre suas invisíveis rodas
e junto a mim és pura como âmbar dormido...
Nenhuma mais, amor, dormira com meus sonhos...
Irás, iremos juntos pelas águas do tempo.
Nenhuma viajará pela sombra comigo, só tu.
sempre viva. sempre sol... sempre lua...
Já tuas mãos abriram os punhos delicados
e deixaram cair suaves sinais sem rumo...
teus olhos se fecharam como
duas asas cinzas, enquanto eu sigo a água
que levas e me leva.
A noite... o mundo... o vento enovelam seu destino,
e já não sou sem ti senão apenas teu sonho...

(Pablo Neruda - Tradução ao português do Soneto LXXXI)

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Mesagenzinha ao meu amor

A vida longe de você é tão sem graça, o dia fica tão cinza quando não vejo o seu sorriso de manhã. Longe de você não sou mais eu. Longe de você não sinto nada além de um enorme vazio no meio do peito. Longe de você sou apenas um corpo oco à espera de um "bom dia" seu ou de uma palavra sua qualquer ou até do simples vislumbre do seu rosto para, então, voltar à vida, voltar a ser, voltar a acreditar que um dia vou ser feliz de novo.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Reclamando da vida em Portugal

Oi T.!

Como vai o joelho? Nossa, fiquei preocupada quando li o que houve, que coisa! Que pena que não deu para ir no México, mas não se preocupe, ainda haverão muitas outras oportunidades para ir, se não deu agora é porque não era para ser.

No meu e-mail anterior eu não lhe contei a pior parte da minha estadia em Portugal. Eu já falei que não fui muito com a cara do coordenador do curso, um dos motivos para isso foi que assim que cheguei aqui, tive uma reunião com ele e me deu um sermão por ter chegado 2 semanas depois das aulas terem começado, mesmo ele sabendo bem que o atraso não foi por minha própria vontade, foi por causa da enrolação na embaixada portuguesa. Também nessa reunião ele falou que qualquer saída da cidade de Faro deve ser comunicada a ele e deixou claro que só admitirá que viajemos fora do expediente acadêmico. Até ai, tudo bem, ele está certo, também não é justo nos dar uma bolsa para que a gente fique viajando e matando aula, né?

O problema veio depois, quando ele foi nos explicar como funciona o nosso visto aqui em Portugal, acontece que a embaixada portuguesa dá a todos os estudantes um visto de 120 dias, igual que a embaixada da Espanha me deu ano passado, a diferença está que a embaixada da Espanha marca no visto a opção de “múltiplas entradas”, ou seja, o estrangeiro pode, nesses 120 dias, sair e entrar ao país à vontade, depois você renova o visto e pronto, continua entrando e saindo quando bem entender. Aí é que está  a diferença com Portugal, o visto de 120 dias que tenho tem marcada a opção de apenas uma entrada no país, ou seja, se por algum motivo eu sair antes de esses 120 dias, não posso entrar novamente a Portugal! Perco o visto de estudante imediatamente no momento em que sair do país! Esse meu visto vence o dia 2 de fevereiro e já me informaram que o trâmite de renovação é extremamente demorado em Portugal (na Espanha era rapidíssimo, menos de um mês), me disseram que com sorte, no final de março terei o visto definitivo que permite entrar e sair do país quando eu bem entender. Ou seja, estou presa aqui, não posso viajar nem no final do ano nem nas férias de fevereiro (intervalo entre o primeiro e segundo semestre aqui).

Estou bem aborrecida com isso, mas não tem jeito, essas políticas dependem do governo português, não há nada que o meu coordenador nem a universidade possam fazer para nos ajudar com isso, a lei portuguesa é assim, fazer o que? Apenas posso aproveitar o tempo para adiantar a minha dissertação que está atrasadíssima, já tenho a data da defesa (entre o 17 e o 19 de junho), então tenho que correr com isso. Como já te falei antes, perdi totalmente o “tesão” pela minha pesquisa e pelo mestrado em geral, mas compromisso é compromisso, farei o melhor trabalho possível mesmo não gostando.

Bom, minha amiga querida, espero que o seu joelho esteja melhor, não se desanime, essas coisas acontecem, apenas se cuide muito, siga todas as indicações do médico e dê uma folga para o seu joelho, que ele vai melhorar, depois disso você pode fazer todas as viagens que quiser ao México ou a qualquer lugar que desejar.

Um cheiro e os meus melhores desejos para você!

sábado, 30 de janeiro de 2010

Ser Feliz

Sempre pensei que ser feliz era viver em serenidade, com a alma em paz. Ainda acho que ser feliz é isso, mas descobri que o estado de felicidade envolve ainda mais coisas que eu nem suspeitava.

A minha mãe uma vez me perguntou se eu era feliz, eu respondi que sim de forma quase automática, pois sabia que era isso o que ela queria ouvir. A minha mãe sempre teve uma preocupação pela felicidade dos filhos, ela se sente feliz se sabe que nós somos felizes.  Depois dela me perguntar isso eu fiquei pensando “Será que sou feliz mesmo?”, comecei a me questionar se tinha algum motivo para não ser feliz, não encontrei nenhum, então conclui que era feliz sim.

Não acho que eu alguma vez tenha sido infeliz, já me senti triste algumas vezes, mas sempre passa rápido, já tive crises de depressão profunda, mas mesmo no meio delas nunca me senti infeliz (apenas não via motivo para viver). Não tenho do que me queixar, a minha vida sempre foi ótima, mesmo assim, hoje descobri que nunca fui verdadeiramente feliz.

Nos últimos meses tenho percebido que o dia amanhece bem mais colorido do que eu lembrava, que o sol da manhã não me incomoda tanto quanto costumava me incomodar, que o tempo passa rápido demais e que os dias são muito curtos. Percebi também que coisas que antes me feriam terrivelmente já não têm mais importância, que fatos que há algum tempo me causavam dor  hoje não me causam absolutamente nada, que pessoas que me fizeram mal não me despertam nenhum tipo de sentimento negativo. Percebi que até coisas que antes me incomodavam profundamente hoje não me incomodam mais, que às vezes reclamo de algumas coisas por costume mais do que porque elas realmente me incomodem. Ultimamente me sinto forte como nunca, inatingível, infalível, incapaz de sentir nada além de muito amor.

A força que o amor nos confere é impressionante, quando se ama de verdade parece que toda preocupação some da cabeça, nada no mundo pode ferir um coração que ama. É a suprema serenidade da alma, um espírito em calma, certo de que nada nem ninguém pode lhe atingir. Não há espaço no coração para nada, nada, nada além do amor, perdão, beleza, gentileza e sentimentos elevados. Isso, meus senhores, é ser feliz. Ultimamente estou tão ocupada sendo feliz que não consigo pensar em mais nada, como diz a canção Je vois la vie en rose e o melhor de tudo é saber que esse sentimento não é passageiro. O amor é mesmo uma droga... Uma droga maravilhosa e viciante capaz de transformar o mundo. Quem nunca exprimentou não sabe o que está perdendo!  


sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Carta a uma ex-amiga

Querida Marie,

Sim, querida, porque foste querida e muito. Foste a minha primeira amiga de verdade, a primeira pessoa em quem consegui depositar toda a minha confiança sem receios. Chegaste à minha vida num momento em que eu estava absolutamente só, não tinha ninguém para me ouvir, ninguém com quem compartilhar os meus pensamentos e sentimentos, ninguém que fosse capaz de me compreender. Iluminaste o meu caminho com a tua alegria e teus conselhos sempre tão sábios. Passamos tempos maravilhosos juntas, brincamos, rimos, choramos, conversamos horas a fio diariamente durante anos e em todo esse tempo fui parte da tua vida e tu foste a minha vida inteira.

Marie, minha eterna mami, escolheste terminar a nossa amizade, escolheste ser fiel ao teu sangue mesmo sabendo que era injusto.  Respeitei a tua decisão apesar de não concordar com ela, nunca reclamei, sabia que sempre fazias aquilo que o teu coração mandava, era exatamente isso o que te tornava uma pessoa especial.

Me decepcionaste como amiga, é verdade, mas não guardo mágoa de ti, nunca guardei, no fundo da alma sempre soube do amor que tinhas por mim e sei que sofreste também com a separação. Respeitei a distância que me impuseste, te tirei do meu coração com muita dor até que chegou o dia em que te esqueci completamente, passaste a ser apenas mais uma pessoa entre os seis bilhões que habitam a terra.

Assim te foste, longe de mim. Não me tiveste ao teu lado para te confortar quando mais precisaste, assim escolheste que fosse, não há arrependimentos. Soube da tua partida por um sonho -um daqueles sonhos nos quais tanta fé punhas- confirmei a notícia um tempo depois. A tua falta não me dói, a tua morte não me fere, te tirei de mim como se arranca a erva daninha do jardim e não deixaste raízes. Mas te escrevo mesmo assim, te escrevo para te dizer aquilo que nunca me deste a oportunidade de dizer: adeus, Marie, obrigada pelo tempo que me deste, obrigada pelas lições que me ensinaste, que sejas feliz onde quer que estiveres e que um dia me esqueças como eu já te esqueci.

sábado, 16 de janeiro de 2010

Mais um aniversário, mais uma nota ao meu amor

Sinto-me hoje a mulher mais feliz e mais sortuda do mundo. Desde o dia em que te conheci você não tem feito outra coisa além de me fazer feliz e eu, que sempre achei que era feliz sozinha, aprendi que não fazia ideia do que era felicidade até te conhecer.

Cada dia que passo com você aprendo algo novo sobre essa pessoa incrível que é a mulher que amo. Cada dia que passa você me conquista e me cativa novamente, como se fosse a primeira vez que te estivesse vendo. Me apaixono por você cada vez que o sol nasce e um dia inteiro é sempre muito pouco se for passado do seu lado.

Desde o dia em que te conheci vivo nas nuvens, vivo num mundo cor-de-rosa onde só você me basta, onde a felicidade é lei e onde o futuro não tem nada de incerto. A única coisa que consegue escurecer a luz do sol nesse mundo é o pensamento de um dia te perder, mas logo, logo você se encarrega de afastar essa nuvem, pois você -na sua sabedoria sensível- bem sabe que um se torna eternamente responsável por aquilo que cativa e me acalma então com suas palavras doces, seu jeito firme e seu olhar de esperança e fé no futuro.

Agradeço a você por estes quatro meses da mais pura felicidade, agradeço a você pela paciência que tem comigo e pelo imenso amor que me entrega todos os dias. Obrigada por me amar, por não desistir de mim em nenhum momento, por acreditar em que um dia estaremos as duas sentadas num sofá, velhinhas, uma olhando para a outra e as nossas mãos ainda estarão unidas, e no nosso olhar ainda haverá amor e cumplicidade e ainda sentiremos que o tempo é muito curto para tudo o que temos para fazer e conversar juntas.

Te amo com toda a intensidade com que a minha alma é capaz de amar, sou completamente louca por você, apaixonada com uma paixão que se renova a cada instante, conto os dias e minutos que faltam para te ter nos meus braços novamente.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Palavras à ex que nunca foi verdadeiramente namorada

Eu tenho uma  mania muito feia, que é a de falar a minha verdade sem importar a quem nem como nem quando. Tenho a crença de que qualquer verdade, por feia que seja, é melhor do que uma ilusão, a fantasia ou uma mentira. Isso às vezes me leva a falar ou escrever coisas como este e-mail que data de quase um ano atrás e que me arrependi profundamente de ter mandado, pois a pessoa que recebeu o entendeu como uma ofensa gratuita e não como o "conselho de amiga" que eu queria que fosse.

Oi, F!

Tudo bem com você? Estou escrevendo agora porque eu não tive tempo de responder direito os seus e-mails anteriores, andava ocupada demais. Ainda estou bastante ocupada, porém hoje tomei o dia para arrumar a casa, fazer compras e escrever e-mails. Também escrevo, porque ontem à noite sonhei que lhe escrevia um e-mail e como eu acredito que os meus sonhos são para serem obedecidos, aqui estou, escrevendo.

A verdade é que não tenho nada para contar, a vida continua a mesma, estudos, correria, trabalhos, mais correria, etc.

Tenho dado uma olhada de vez em quando no msn mas nunca vejo você online, também não é que eu entre muito, não entro quase nunca e a diferença de 5 horas com o Brasil também não ajuda. Eu gostaria de ter encontrado você no msn para conversar um pouco sobre algo que está me preocupando um pouquinho, mas já que não deu, vai por aqui mesmo. Eu agradeço que você tenha me escrito, é bom saber que você está bem, fico muito contente em saber que está trabalhando e tocando a vida para frente, estar desempregada é muito ruim ao meu ver, é realmente algo que eu não desejo a ninguém.

Mesmo ficando contente e agradecida por você ter mandado notícias, eu fiquei um pouco preocupada, acredito que no próximo mês vai fazer um ano desde a última vez que nos falamos pessoalmente, a última vez que nos falamos por telefone eu não faço idéia de quando foi, mais imagino que por ai por julho, o que me deixa meio preocupada e perceber que estivemos num relacionamento à distância durante o que? 3 meses? (acredito que foi por ai) e que você me diga no seu e-mail que ainda pensa em mim de forma romântica ou que ainda gostaria de realizar planos comigo, etc.

Isso me preocupa por vários motivos, o principal deles chama-se culpa, eu me sinto culpada e responsável por qualquer angustia que o nosso relacionamento -ou fim dele- tenha ocasionado a você. Não adianta dizer para não pensar assim, eu não penso, sinto. Para ser honesta eu vejo o nosso relacionamento com o um enorme erro, na minha forma de ver as coisas, eu errei muito feio com você, eu aceitei entrar num relacionamento no qual nunca acreditei, com uma pessoa que não conhecia e com quem nunca tive afinidade pelo simples fato de achar que por termos objetivos similares na vida poderíamos realizá-los juntas. Errei mesmo, acabei dando a você esperanças de algo que eu percebi claramente na terceira vez que nos encontramos que seria impossível. Não me justifico, apenas gostaria que soubesse que o motivo do meu erro foi nobre, eu realmente queria muito gostar de você, realmente tinha uma vontade enorme de dar certo com você , isso não justifica em nada que eu tenha percebido que não tínhamos futuro possível e mesmo assim ter continuado o namoro por mais tempo. Em fim... aguas passadas para mim, completamente, e acredito que para você também, mesmo assim saiba que eu me arrependo de muito poucas coisas na vida, poucas mesmo, mas essa é uma delas.


Com todo carinho e com uma genuína preocupação eu gostaria de lhe pedir que tenha uma vida feliz, que saiba abrir os olhos e dar oportunidade de que as pessoas se aproximem de você, você é uma mulher linda, simpática, tem muito a oferecer, eu tenho certeza absoluta de que encontrará alguém que lhe faça feliz e a quem você possa fazer feliz. Se quiser ser minha amiga, vamos lá! Você sabe que eu faço questão de manter amizade com as ex namoradas, com os amigos dos meus amigos, com as atuais namoradas das ex namoradas, em fim... com todo aquele que cruza o meu caminho. Mas eu aviso também, se continuar em contato comigo lhe dá a mais mínima esperança de que nós possamos namorar novamente ou lhe causa a mais mínima angustia, não duvide em me tirar dos seus contatos, eu não vou ficar ofendida no mais mínimo. A única coisa que eu quero é que o seu coração esteja em paz e que não me considere uma possibilidade de pessoa com quem construir algo no futuro, pois essa possibilidade não existe. Você e eu somos pessoas completamente diferentes, temos formas de pensar diferentes, formas de viver a vida diferentes, formas de lidar com o mundo que nos rodeia e com as pessoas completamente diferentes, jamais dariamos certo. Eu deixo esse ditado de “os opostos se atraem” para aqueles que ainda acreditam que paixão é amor, no meu caso os opostos não me atraem para nada, eu procuro alguém com quem eu tenha afinidade e você não é essa pessoa.

Em fim... acho que este e-mail esta ficando longo demais e talvez eu esteja parecendo rude, o que não é a intenção. Escrevi apenas porque fiquei um pouco preocupada com os e-mails que você mandou, mas provavelmente é só coisa da minha cabeça e estou me preocupando à toa... coisa muito frequente em mim.

Abraços e tudo de bom para você,
C.

domingo, 10 de janeiro de 2010

Por amor seré, serás, seremos

Aqui vai um poema de Pablo Neruda que não me sai da cabeça quando estou com saudades da minha amada. Esse poema traduz exatamente o que sinto por aquela que anda pelo mundo como todas as outras, mas que esconde em sí um brilho único e belo que só ela tem, que pode passar inadvertido para todos, mas para mim não passa. Aquela que, desde o dia em que entrou à minha vida, a transformou tão completamente que hoje só sou por ela, para ela e para o nosso amor.

Tal vez no ser es ser sin que tú seas,
sin que vayas cortando el mediodía
como una flor azul, sin que camines
más tarde por la niebla y los ladrillos,

sin esa luz que llevas en la mano
que tal vez otros no verán dorada,
que tal vez nadie supo que crecía
como el origen rojo de la rosa,

sin que seas, en fin, sin que vinieras
brusca, incitante, a conocer mi vida,
ráfaga de rosal, trigo del viento,

y desde entonces soy porque tú eres,
y desde entonces eres, soy y somos,
y por amor seré, serás, seremos.

(Poema LXIX - Pablo Neruda)

sexta-feira, 18 de dezembro de 2009

Psicografia ou simplesmente Psycho?

Muita gente pode dizer que me conhece, mas na verdade a maioria das pessoa vê uma ínfima parte daquilo que sou e pouco sabem sobre mim.

Uma das coisas que faz parte da minha vida desde muito pequena e da qual pouquíssima gente sabe é que eu tenho algumas “esquisitices”, algumas pessoas sabem que às vezes ouço ou vejo coisas que a maioria das pessoas não é capaz de ver, mas muito pouca gente sabe que além disso às vezes também alguns pensamentos vêm à minha mente e não sou eu quem está realmente pensando aquilo (como se alguém transmitisse os seus pensamentos para mim) e também às vezes sinto a urgência inevitável de pegar papel e caneta e escrever coisas que não sou eu quem está realmente escrevendo (como se alguém me ditasse ou às vezes até conduzisse a minha mão para que eu escreva). Coisa mais bizarra, eu sei, tenho plena consciência de que pareço louca quando falo sobre isso, esse é o motivo pelo qual muito pouca gente sabe disso. Os espíritas diriam que sou médium, eu digo apenas que sou esquisita... e daí? Todos somos esquisitos de alguma forma, eu gosto de ser quem sou, mesmo com as minhas bizarrices.

Estou dando essa explicação toda, porque hoje tive uma dessas “urgências” de escrever e acabou saindo uma mensagem que tenho certeza de que estava destinada a mim mesma (a maioria das vezes as coisas que escrevo tem outros destinatários que não sou eu). Por mais que pareça difícil entender o que realmente quer dizer essa mensagem, eu entendi claramente, achei muito bonita e agradeço à força/ entidade/ ser/ energia cósmica/ espírito/ alter ego/ inconsciente/ou whatever-you-like-to-call-it pelo recado e pelo conselho, será levado em consideração, pode apostar :-)


Nada temas, abre a porta d'alma àquela das palavras macias, aquela que chegou e não conheces bem, porque os seus sentimentos são bons e desceu o céu e cavou a terra para te alcançar. Não tenhas medo da reforma, a mudança é favorável a ti e ao que precisas mais do que ao que desejas e o plano que tu traçaste não foi esquecido. O medo pertence ao covarde e sobre ele nada foi escrito, és filha da força e não do medo e aquilo que com aquela compartes é muito mais do que gosto e sentimento. Não olhes, observa, e vê que o desconhecido é mais conhecido do que possas compreender. O meu olhar está contigo,
Gabriel.*

*  Esse é o nome que assina a maioria das coisas que escrevo em "modo automático", sintam-se livres para interpretar como meu alter ego inconsciente se desejarem :-)

domingo, 13 de dezembro de 2009

Faxina na vida (parte 4)

Doce Começo

Descobri durante este ano que por algum motivo desconhecido eu passo por uma completa reformulação da minha vida a acada dez anos. O nono ano da década é sempre um ano de limpeza e mudanças na minha vida, de grandes decisões que irão me orientar durante os dez anos seguintes e, às vezes, durante toda a vida. Aos nove anos vivi a primeira pequena revolução da minha vida ao me mudar de casa, mudar de escola, perder todos os pouquíssimos amigos que tinha demorado anos para conseguir conquistar, me ver completamente sozinha numa casa grandona e fria. Aos dezenove anos aconteceu a grande revolução da minha vida, me assumi lésbica para o mundo (porque para mim mesma eu tinha me assumido desde que comecei a ter noção de sexualidade), fui embora de casa, vivi o primeiro amor, o primeiro beijo, tracei objetivos para a minha vida que desde esse dia tenho perseguido e procurado sem jamais me arrepender. Este ano de 2009, como já mencionei nos posts anteriores, foi um ano de purificação. O processo de limpeza-de-dentro-para-fora pelo que passei me permitiu me desfazer de tudo aquilo que me fazia mal e me aproximar de tudo aquilo que me força a ser melhor.

Termino este ano com a sensação de que ele foi muito longo e muito sofrido, mas tenho também a sensação de que todo o esforço, cada noite não-dormida, cada gota de suor e cada lágrima valeram a pena. Este ano rompi todas as barreiras que podiam existir na minha vida, ultrapassei todos os meus limites. Consegui me librar de velhos fantasmas, rompi cordões umbilicais que tinham deixado de me nutrir e estavam começando a me sufocar, ganhei independência e novos motivos para desejar viver.

Começo o novo ano mudando de dígito, entrando nos temidos trinta-e-pouco (toda uma balzaquiana!) cheia de esperança, metas e planos. Começo um novo ciclo na minha vida enxergando o mundo cor-de-rosa, com o desafio de parir a minha segunda dissertação de mestrado, o desafio ainda maior de tentar encontrar uma casa, um emprego e uma instituição para fazer o doutorado antes do final de 2010, tendo a certeza de ter achado o amor que sempre procurei e sempre desejei para mim, com a vontade de construir uma vida nova e uma família do lado dessa mulher maravilhosa... em fim... chega dezembro e a melancolia bate, mas mais forte ainda bate a certeza de que este ano foi produtivo e decisivo e que os anos que virão serão muito melhores e mais felizes porque a base construída hoje é forte.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Faxina na vida (parte 3)

Lembranças do passado

Uma vez que me desfiz das pessoas que não acrescentavam nada possitivo à minha vida, trouxe de volta pessoas muito queridas que estavam afastadas e conquistei a amizade e o carinho de pessoas interessantíssimas que tenho certeza se tornarão grandes amigas para a vida, chegou a hora de fazer uma faxina mais “física”. De repente descobri que uma pessoa consegue juntar em uma década muito, muito, mas muuuuito lixo! 2009 foi um ano de faxina nas minhas coisas também, me desfiz de tudo aquilo que fosse dispensável, tudo o que pudesse trazer à minha lembrança momentos da vida que devem ficar para atrás, pois desejo começar os meus trinta anos limpa como uma folha em branco, livre de lembranças, livre de correntes que me prendam ao passado. Joguei fora sem nenhuma dor montes de fotografias dos meus relacionamentos anteriores, anos e anos de cartas de amor acumuladas, bilhetinhos, presentes, livros e até roupa. Limpei o meu computador de fotografias digitais, e-mails e outras coisas também.

Não sou uma pessoa sentimental, nem muito menos sou uma pessoa apegada às coisas. Acredito que deve se guardar algo enquanto aquilo nos for útil, nos trouxer algo de bom, do momento que uma coisa não nos é mais útil ou não acrescenta algo possitivo à nossa vida, devemos nos desfazer dela. Muita gente interpreta o se desfazer das fotos da ex-namorada ou ex-esposa como um ato de raiva, de sentimentos de mágoa ou até ódio. Para mim, o me desfazer das fotografias e presentes de ex-namoradas ou ex-mulheres é uma forma de dizer “hey, foi bom enquanto durou, foi legal, mas acabou, vou agora olhar para a frente, viver o presente e preparar o meu futuro porque o passado já passou”.

Acho que é por pensar assim que me sinto tão mal quando encontro entre as coisas da pessoa que está comigo uma fotografia ou um objeto que pertenceu ou que lembra alguma das suas ex-namoradas. Imediatamente quando isso acontece eu relaciono o fato de conservar essas lembranças como prova de que a pessoa não está disposta a deixar o passado no passado e pensar num futuro comigo, encaro o guardar lembrancinhas de namoradas anteriores como uma demonstração da necessidade que a pessoa sente de lembrar desse passado e da incapacidade de aceitar que aquele relacionamento acabou. Por esse motivo a faxina física que fiz na minha vida este ano se extendeu também para a vida da minha namorada e futura esposa, acabei dando a ela um prazo para se desfazer das coisas que conserva dos seus relacionamentos anteriores, para começar junto a mim uma vida livre dessas lembranças. Ela, como a pessoa doce e comprensiva que é, aceitou. Vamos em junho então estar as duas prontinhas para escrever a nossa vida juntas livre de fantasmas e corpos no guarda-roupas.



sábado, 28 de novembro de 2009

Faxina na vida (parte 2)

Continuo com o mesmo texto...

A fase 2

É preciso ser justa, é preciso dar ao César o que é do César, essa nova esperança de encontrar alguém para partilhar a vida comigo não nasceu do nada, contei com a ajuda de duas pessoas fundamentais para mim na época, uma é o meu grande amigo R. quem sempre teve para mim a palavra certa no momento preciso. A outra ajudinha a recebi de uma pessoa que durante dois anos foi a minha melhor amiga, a minha filha, a minha mãe, a minha irmã, o meu modelo, o meu exemplo e o meu espelho, e agora é apenas... nada. Ela me ajudou muito a entender que eu mereço e preciso ser feliz, que mereço a oportunidade de amar e de ser amada de verdade, em carne e osso e não apenas no campo das idéias.

É verdade que as intenções da moça ao me aconselhar não eram as mais altruístas, mas a intenção nem sempre é o que vale (aprendi isso muito cedo e do jeito mais difícil), o importante é o resultado final, e o resultado neste caso foi que essa moça abriu a minha mente, me possibilitou enxergar coisas que eu não enxergava e me fez acreditar novamente na existência do amor. Por isto, lhe serei eternamente grata. Por todo o resto não. A verdade é que ainda não aceito toda a falta de respeito, falta de consideração, e principalmente, falta de caráter que essa moça demonstrou, acho que nunca vou aceitar isso tudo, pois não acredito merecer esse tipo de tratamento. Mas a minha alma descansa, eu sei que as minhas intenções sempre foram puras e elevadas, sempre fui verdadeira e honesta, se ela não foi, quem perdeu foi ela, não eu. Enquanto eu tiver a capacidade de amar, amarei e quebrarei a cara mil vezes se for preciso, pois mil vezes melhor quebrar a cara amando do que não saber amar.

Mas depois desse episódio decidi entrar na “fase 2” da faxina da minha vida, depois de ter feito a limpeza da minha alma e da minha mente decidi limpar também o meu círculo de amizades, voltar ao convívio de algumas pessoas maravilhosas com quem tinha perdido contato há muito tempo, trazer para perto de mim outras criaturas maravilhosas que conheci nos últimos tempos e tirar de perto de mim aquelas que não acrescentavam nada positivo. Isso pode parecer frio para algumas pessoas, mas eu sou assim, sempre fui assim, sempre achei que não é bom ter muitos amigos, o que é bom é ter bons amigos. Não faço nenhuma questão de ter um círculo de amizades de mais de 10 pessoas, é mais, prefiro mantê-lo abaixo desse número, mas que essas pessoas sejam aquilo que pode se chamar de amigo do peito, aqueles amigos com quem você sabe que pode contar a todo momento, em qualquer circunstância, amigos que possam te oferecer um puxão de orelha bem dado quando você merecer, um colo para chorar quando precisar, um teto quando não tiver onde mais ir, a palavra precisa na hora certa. Disso eu faço questão, essas amizades eu cultivo, cuido, nutro, pois sou nesta vida, antes que nada, uma aprendiz e gosto de ter por perto os melhores mestres, pessoas com quem eu possa aprender algo.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Faxina na vida (parte 1)

Hoje começo a postar um texto que escrevi sobre a minha própria vida no ano de 2009. Vou postar em partes, aqui vai a primeira.

O Pedido de Ano Novo

Desde o começo deste ano estou num período de faxina. Do mesmo jeito que às vezes simplesmente levanto e começo a tirar todos os móveis do lugar, passar vassoura, pano molhado e organizar todas as minhas coisas do nada, sem motivo e sem aviso prévio, no dia 31 de dezembro de 2008 resolvi que este seria um ano de faxina na minha vida inteira.

Foi uma escolha inconsciente, motivada provavelmente pelo cansaço que estava sentindo de tudo, tédio de viver a minha vida do jeito que ela estava. Não que a minha vida fosse ruim, de jeito nenhum, nunca reclamei dela, mas algo entre os meus 20 e os 30 anos se desgastou, é como se aos pouquinhos eu tivesse perdido o tesão pela vida, a vontade de ser eu mesma, e me deixei arrastar pela corrente do marasmo e do cotidiano.

Mas, em fim, cansei disso tudo. Comecei este ano com uma prece bem sofrida, regada a muitas lágrimas numa fria e solitária noite em Paris. Pedi, como todos os anos, ao universo, destino, vida, Deus ou quem quer que seja que esteja no comando de tudo, que tomasse conta dos meus seres queridos. Depois pedi por mim mesma, este ano pedi para mim apenas uma coisa: tirar definitivamente a S. da minha vida, se não esquecê-la, pelo menos que o fato dela existir tão longe de mim não me doesse mais.

Pedido feito, pedido concedido. Por uma arte de mágica que ainda não sei explicar, a dona S. que habitou os meus sonhos e a minha imaginação durante tantos e tantos anos simplesmente sumiu. Em menos de dois meses parei de pensar compulsivamente nela, em três meses conseguia pensar nela de vez em quando e sem sentir angustia ou dor, em seis meses parei de pensar nela quase totalmente, lembrando apenas da sua existência muito de vez em quando e apenas para desejar que esteja por ai pelo mundo sendo muito feliz.

Mas esse foi apenas o começo da mudança, uma vez tendo arrancado definitivamente as correntes que prendiam o meu coração à dona S. consegui ainda algo mais ousado, consegui pensar na possibilidade de ser feliz de novo, consegui pensar em que talvez o meu destino não fosse ficar só, como sempre achei que era, comecei a ter esperanças de encontrar alguém a quem entregar todo o amor e a dedicação que existe em mim e que durante todo este tempo foram desperdiçados numa pessoa que mal sabe o meu nome e que em toda a sua vida não deve ter gasto mais de 15 minutos pensando em mim.

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Notinha ao meu amor por mais um aniversário

Mais um mês se passou e eu continuo a cada dia mais feliz e mais certa de que você e eu nascemos a uma para fazer feliz a outra. A cada dia que passa tenho uma maior convicção de que uma vida completamente nova começou para mim no dia em que te conheci, tantas possibilidades para um futuro que antes parecia escuro e solitário, tanta esperança para um coração que não acreditava mais em nada.
Exatamente quando tinha desistido de procurar, você apareceu trazendo exatamente aquilo que eu sempre quis, mas que nunca achei que merecia. Você me devolveu a alegria, a força para acordar cada manhã, a vontade de sorrir de novo.
Não sei o que posso fazer para devolver a você todas as coisas boas que você desperta em mim, posso apenas tentar ser a cada dia uma pessoa melhor para merecer o seu amor e te amar de volta com toda a força e intensidade que a minha alma consegue amar.


Quando encontrar alguém e esse alguém fizer seu coração parar de funcionar por alguns segundos, preste atenção. Pode ser a pessoa mais importante da sua vida.

Se os olhares se cruzarem e neste momento houver o mesmo brilho intenso entre eles, fique alerta: pode ser a pessoa que você está esperando desde o dia em que nasceu.

Se o toque dos lábios for intenso, se o beijo for apaixonante e os olhos encherem d'água este momento, perceba: existe algo mágico entre vocês.

Se o primeiro e o último pensamento do dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Deus te mandou um presente divino: o amor.

Se um dia tiver que pedir perdão um ao outro por algum motivo e em troca receber um abraço, um sorriso, um afago nos cabelos e os gestos valerem mais que mil palavras, entregue-se: vocês foram feitos um pro outro.

Se por algum motivo você estiver triste, se a vida te deu uma rasteira e a outra pessoa sofrer o seu sofrimento, chorar as suas lágrimas e enxugá-las com ternura, que coisa maravilhosa: você poderá contar com ela em qualquer momento de sua vida.

Se você conseguir em pensamento sentir o cheiro da pessoa como se ela estivesse ali do seu lado... se você achar a pessoa maravilhosamente linda, mesmo ela estando de pijamas velhos, chinelos de dedo e cabelos emaranhados...

Se você não consegue trabalhar direito o dia todo, ansioso pelo encontro que está marcado para a noite... se você não consegue imaginar, de maneira nenhuma, um futuro sem a pessoa ao seu lado...

Se você tiver a certeza que vai ver a pessoa envelhecendo e, mesmo assim, tiver a convicção que vai continuar sendo louco por ela... se você preferir morrer antes de ver a outra partindo: é o amor que chegou na sua vida. É uma dádiva.

Muitas pessoas apaixonam-se muitas vezes na vida, mas poucas amam ou encontram um amor verdadeiro. Ou às vezes encontram e por não prestarem atenção nesses sinais, deixam o amor passar, sem deixá-lo acontecer verdadeiramente.

É o livre-arbítrio. Por isso preste atenção nos sinais, não deixe que as loucuras do dia a dia o deixem cego para a melhor coisa da vida: o amor.


(Carlos Drummond de Andrade)

terça-feira, 10 de novembro de 2009

De sonhos e realidades


Quem me conhece sabe que nunca fui de acreditar em sonhos que viram realidade, nunca acreditei em príncipes encantados nem em coisas caídas do céu. Como boa capricorniana que sou, acredito mesmo é no trabalho duro e na construção dia-a-dia de grandes coisas. Acredito que para alcançar uma grande benção é preciso se esforçar todos os dias, nada é de graça neste mundo.
Apesar disso tudo, venho aqui postar hoje apenas para dizer que estou vivendo um sonho, um maravilhoso sonho que se torna a cada dia mais real, não sei se sou mesmo merecedora de tanta felicidade, mas agradeço todos os dias pela vida que tenho, pela mulher maravilhosa que amo, que me ama e que torna a minha realidade um sonho cor-de-rosa.

Um dia destes eu sonhei
que tinha a vida que sempre quis.
Sonhei que nada me faltava.
Sonhei que era amada e que amava também.
Sonhei que os olhos da minha mulher
eram transparentes, limpos, como os de uma criança.
Sonhei que ela podia ver quem sou só de olhar
e que o que via não a assustava.
Sonhei que o sol da manhã não era pário
para a beleza e pureza do meu bem.
Sonhei que quando tinha desistido de procurar
tinha achado um diamante perdido no lixo do mundo.
Sonhei que era feliz como nunca fui,
mas a felicidade maior foi sem dúvida acordar
e perceber que continuava a sonhar.

sexta-feira, 16 de outubro de 2009

O mês mais feliz

Hoje é o aniversário do meu namoro com a mulher mais perfeita do mundo: a minha! Por isso posto aqui um poema de Pablo Neruda que amo e que diz tudo o que eu quero dizer à minha mulher hoje. Quero deixar constância de que me sinto a criatura mais feliz do planeta, a mais sortuda também e que a vida adquiriu significados nunca antes vistos desde que conheci a minha amada. Quero deixar constância também de que sinto que tudo valeu a pena, tudo o que vivi, tudo o que já chorei e sofri, foi tudo válido, porque é por causa dessa história toda que hoje posso dizer com propriedade: a minha mulher é tudo o que sempre quis para mim, a minha mulher me faz verdadeiramente feliz; goste quem gostar e acredite quem quiser, eu e ela não vamos dar certo, já demos!

Es así que te quiero, amor
Así te quiero, amor,
amor, así te amo,
así como te vistes
y como se levanta
tu cabellera y como
tu boca se sonríe,
ligera como el agua
del manantial sobre las piedras puras,
así te quiero, amada.

Al pan yo no le pido que me enseñe
sino que no me falte
durante cada día de la vida.

Yo no sé nada de la luz, de dónde
viene ni dónde va,
yo sólo quiero que la luz alumbre,
yo no pido a la noche
explicaciones,
yo la espero y me envuelve,
y así tú, pan y luz
y sombra eres.

Has venido a mi vida
con lo que tú traías,
hecha
de luz y pan y sombra te esperaba,
y así te necesito,
así te amo,
y a cuantos quieran escuchar mañana
lo que no les diré, que aquí lo lean,
y retrocedan hoy porque es temprano
para estos argumentos.

Mañana sólo les daremos
una hoja del árbol de nuestro amor, una hoja
que caerá sobre la tierra
como si la hubieran hecho nuestros labios,
como un beso que cae
desde nuestras alturas invencibles
para mostrar el fuego y la ternura
de un amor verdadero.
(Pablo Neruda)

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

A resposta

Quando nos conhecemos eu disse que você não era o que eu desejava para mim, que a sua “vida já feita” não era o que eu esperava e que eu queria alguém para construir comigo e não alguém com a construção já feita e apenas um lugar para eu encaixar. Quanta idiotice! Quanta asneira junta! Eu, que sempre fui tão orgulhosa da minha própria inteligência, me surpreendo hoje com a minha capacidade de ser idiota às vezes.
Como foi que não percebi que essas coisas que mencionei ai encima são exatamente o que há de melhor em você? Como foi que eu não enxerguei que se você é essa criatura maravilhosa que eu conheço é exatamente porque já viveu a vida, já passou por tanta coisa, já errou o que tinha para errar e hoje quer apenas o que eu sempre quis: viver uma vida tranquila, em paz, do lado da mulher que ama.
Nem sei como você não saiu correndo depois dessa conversa, não entendo como você tem paciência comigo, mas agradeço que a tenha, agradeço que tenha gostado de mim ao ponto de não se sentir ofendida com tudo o que eu disse naquele dia e agradeço ainda mais que tenha relevado a minha impertinência e apostado em mim e no futuro que você percebeu que poderíamos ter.
Você trouxe a luz à minha vida, tão escura naquele momento. Você trouxe alegria a um coração que sempre foi triste. Você é a primavera que chega depois do mais longo e frio inverno.
Nem sei como te agradecer por você existir, por você ser tudo isso que você é, por você me amar dessa forma tão pura, tão sem interesses. O agradecimento que eu posso dar é te amar de volta, te tratar como a rainha que você é, a cada dia te mostrar o quanto você significa para mim e o quanto a cada dia eu não sou mais eu e você não é mais você, somos apenas “nós”.
Saiba que você é a luz da minha vida e que os planos que você faz eu também faço. Saiba que esse jeitinho adolescente de me amar é correspondido de forma igualmente boba. Saiba que eu também me pego rindo pelos cantos à toa e que pago mico na rua, no supermercado e até aqui mesmo em casa, tanto quanto você. Saiba que desde a hora em que acordo até a hora em que durmo há apenas você no meu pensamento. Saiba que eu até posso viver sem você, mas não quero, e que essa é a diferença entre depender de alguém e amar alguém, pois eu escolhi te amar e escolhi viver do seu lado e essa escolha não pode ser desfeita. Saiba que conto os dias, horas e minutos que faltam para te ver e que cada dia longe de você se arrasta como se o tempo deste lado do mundo fosse elevado à potência de dez.
Sempre soube que sou uma mulher de sorte, nasci com a bunda virada para a lua certamente, e se você acha que alguém lá encima vai com a sua cara, alguém por lá realmente tinha uma dívida muito grande comigo para ter enviado você em pagamento. Eu sempre disse que só recebemos aquilo que merecemos e que ninguém recebe nem mais nem menos do que merece, hoje posso apenas dizer que, se houveram outras vidas antes desta, eu realmente devo ter sido injustiçada demais em todas elas para que o destino decidira hoje saldar as contas mandando você para mim.
Eu vou parar de agradecer a você por tudo, pois estou ficando repetitiva demais. Saudades, saudades, saudades de você, do seu abraço, do seu beijo, do lindo que fica o meu dia quando ele começa do seu lado.

Do meu amor para mim

Só porque eu achei bela esta cartinha que o meu amor escreveu para mim, fiquei toda orgulhosa e feliz em saber que sou amada tanto quanto amo:


Achei que seria impossível, mas o impossível não existe.
Compreendi isso quando te conheci.
Como pode alguém aparecer assim, do nada, de repente e fazer uma reviravolta na minha vida já tão "acertadinha" do jeito que eu achava que deveria ser?
Nem estava te procurando, isso é o mais engraçado.... porque parece que quanto mais a gente procura, mais o "predestinado" se afasta da gente, como se alguém ou alguma coisa quisesse tentar avisar: Olha, não é por aí! Teu caminho é outro!! Tá ficando cega?
Aí do nada veio você..... chegou devagarinho,mansa,despretenciosa, foi ocupando cada dia mais espaços e hoje preencheu todo aquele vazio que existia, naquela vidinha sem graça e acertadinha que eu achava que era boa, até você aparecer e me mostrar que pode ser maravilhosa, só porque agora você faz parte dela...
Já não há mais espaços a ocupar, são todos seus.... até meus pensamentos!
Foi um atropelamento da alma..... súbito, direto e sem chance de defesa..... nem dá prá explicar....
Hoje renasceu em mim uma vontade que há muito estava adormecida, ou extinta, sei lá.... a vontade de fazer planos para o futuro, de sonhar sonhos malucos e ficar acreditando que eles podem acontecer.... de dividir a minha vida, o meu espaço as minhas alegrias, as minhas tristezas, as minhas conquistas e as minhas derrotas com você, que de tão maravilhosa que é para mim, nem consigo descrever.... porque me faltam palavras....
Tô até ficando meio boba.... tenho que ficar me policiando, porque de repente, quando percebo, estou rindo sozinha, à toa e é impressionante como sempre tem alguém para presenciar uma cena dessas.....
Quando nos demos conta de que estávamos apaixonadas, falei que te esperaria por esses 9 meses que estará fora..... depois, quando finalmente você viajou, parece que a realidade me agrediu com um tapa na cara.... e saí do aeroporto sem saber o que devia fazer, prá onde deveria ir..... sem você fiquei completamente perdida.....
Hoje invento formas diferentes de calcular o tempo que falta prá você voltar..... e escolho o que parece ser menor..... a saudade é tanta que às vezes nem percebo que passei quase o dia todo sem conversar (imagina só? eu que converso pelos cotovelos?)
Só queria achar uma fórmula infalível de demonstrar o meu amor por você, já que as palavras me parecem insuficientes e não traduzem o que eu sinto.
Mas enquanto não encontro essa fórmula, queria dizer simplesmente que TE AMO e que estou aqui, esperando ansiosamente por você, com a cabeça cheia daqueles sonhos malucos e daqueles planos que imaginei para nós.
Não tenho dúvidas de que você é o amor da minha vida e que é você a pessoa que foi predestinada para mim.... alguém "lá em cima" vai com a minha cara..... e guardou o que tinha de melhor prá me dar de presente, VOCÊ!
Saudades.......


terça-feira, 22 de setembro de 2009

Resposta à pergunta que nunca fizeste

Porque os meus olhos brilham mais desde o dia em que chegaste à minha vida,

Porque nos meus lábios há lugar apenas os sorrisos e beijos que neles pões,

Porque foste a luz no fim do escuro túnel em que se encontrava a minha alma,

Porque a primeira vez que fomos ao cinema choraste o filme todo,

Porque és a alegria encarnada num corpo de mulher e me contagias de ti a cada dia,

Porque sonhas em fazer de mim uma pessoa melhor mesmo sabendo que será uma tarefa difícil,

Porque desejas permanecer do meu lado a vida toda e envelhecer comigo,

Porque gostaste de mim de graça e me quiseste antes mesmo de eu perceber,

Porque tens o som dos anjos na garganta e és simplesmente incrível no violão,

Porque gostas das mesmas coisas que eu gosto e de outras tantas que eu não,

Porque és trabalhadora e amas o que fazes com uma paixão de adolescente,

Porque tens o sorriso mais lindo mesmo com os teus dentinhos tortos que ninguém vê,

Porque me fizeste o pedido de namoro mais simples e mais sincero que já vi na vida,

Porque mesmo na loucura cansativa que é a tua vida achas sempre tempo para mim,

Porque és a amante perfeita e porque nunca senti tanto prazer com alguém,

Porque tudo consegues com esse teu jeitinho de libriana diplomática,

Porque me seduzes e me encantas a cada dia de um jeito diferente,

Porque me ofereceste a tua casa e tua família antes mesmo de saber se eu não era uma psicopata,

Porque és bela por dentro, por fora e desde todas as perspectivas em que já olhei,

Porque desfrutas os prazeres simples da vida como um bom copo de cachaça,

Porque tens a boca mais suja do universo e mesmo assim consegues ser a criatura mais charmosa,

Porque depois de imaginar o resto da minha vida contigo não consigo imaginá-la com mais ninguém,

Porque se eu continuar enumerando os motivos para te amar não haverá papel suficiente na minha casa para terminar a lista...